quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Mitos e fatos sobre Nicotina segundo a Johnson

Todos nós conhecemos os perigos associados ao hábito de fumar, mas que proporção a nicotina representa no vício de fumar? E ela é realmente o ingrediente mais perigoso do cigarro?

Acabe com alguns dos mitos sobre a nicotina e revele os fatos

Mito: A nicotina é carcinogênica

Fato: Não foi comprovado que a nicotina cause câncer. Há mais de 4.000 outras substâncias químicas na fumaça do cigarro, muitas das quais comprovadamente causam câncer. Em particular, os hidrocarbonetos aromáticos policíclicos e as nitrosaminas são prováveis agentes causadores de câncer de pulmão e de outros tipos de câncer. Os riscos associados à Terapia de Reposição de Nicotina para ajudar a parar de fumar são superados significativamente pelos riscos do hábito de fumar.

Mito: A nicotina provoca as doenças relacionadas ao cigarro

Fato: O cigarro é uma causa conhecida do câncer, doença pulmonar crônica, moléstia cardíaca, e outros distúrbios. É a infinidade de toxinas existentes na fumaça do cigarro, e não o teor de nicotina, o responsável pela maioria dos efeitos nocivos. Em outras palavras, é o sistema de entrega, e não a droga que vicia, o responsável pela vasta maioria das doenças relacionadas ao tabaco.

Mito: A nicotina é responsável pelos efeitos adversos à saúde relacionados ao hábito de fumar

Fato: O principal efeito adverso da nicotina em produtos derivados do tabaco é a dependência, que sustenta o uso do tabaco. Tendo em vista que a maioria dos fumantes é dependente de nicotina, eles continuam a se expor às toxinas dos cigarros. São as outras substâncias químicas do cigarro, e não a nicotina, os responsáveis pela maioria dos efeitos adversos à saúde relacionados ao cigarro.

Mito: A nicotina provoca manchas amarelas nos dedos e dentes

Fato: Não é a nicotina do cigarro, mas sim o alcatrão, que provoca as manchas feias amarelo-castanhas nos dedos e dentes.

Mito: A Terapia de Reposição de Nicotina é mais nociva que o cigarro, devido à natureza da nicotina, que acarreta dependência

Fato: A nicotina é uma droga que vicia. Ao ser fumada, é encaminhada aos pulmões e rapidamente absorvida pela corrente sanguínea, chegando ao cérebro em aproximadamente dez segundos. Nesse ponto, os fumantes sofrem o ‘impacto’ da nicotina, fazendo com que o cérebro produza dopaminas, um neurotransmissor que regula a emoção e as sensações de prazer. O cérebro logo passa a esperar doses regulares de nicotina e sofre os sintomas da abstinência quando o fornecimento é interrompido. A natureza da nicotina, que cria dependência, é em grande parte devida à sua dosagem e rápido transporte ao cérebro quando se fuma um cigarro. Em comparação ao fumo de um cigarro, a Terapia de Reposição de Nicotina fornece doses mais baixas de nicotina, que são transportadas mais lentamente, de forma controlada, e durante um período mais curto, e a dose vai sendo reduzida.

Mito: A Terapia de Reposição de Nicotina não é mais segura que o hábito de fumar

Fato: O benefício da Nicotina Terapêutica utilizada para ajudar a abandonar o cigarro supera de longe os riscos de fumar. A nicotina contida na Terapia de Reposição de Nicotina é fabricada por meio de métodos farmacêuticos regulamentados, ao contrário do método dos cigarros, não regulamentado. O cigarro contém mais de 4.000 substâncias químicas comparado à nicotina terapêutica , e são essas, e não o teor de nicotina, as responsáveis pela maioria dos efeitos prejudiciais.

Mito: A Terapia de Reposição de Nicotina substitui um vício por outro

Fato: O risco de vício da nicotina em medicamentos já provou ser muito baixo em relação ao risco apresentado pelos produtos de tabaco. A Terapia de Reposição de Nicotina tem baixo potencial de abuso em comparação aos produtos do tabaco. A probabilidade de abuso (isto é, usos alheios à cessação do hábito de fumar) e de dependência com as medicações de nicotina disponíveis hoje em dia é muito baixa.

Mito: A Terapia de Reposição de Nicotina resulta em ganho de peso

Fato: O cigarro contém nicotina, que age como estimulante. A maioria dos fumantes ganha peso quando para de fumar. A Terapia de Reposição de Nicotina funciona liberando nicotina terapêutica (em nível inferior ao do cigarro) e foi comprovado que alguns tipos de Terapia de Reposição de Nicotina podem ajudar no controle do ganho de peso durante uma tentativa de parar de fumar.

Mito: A nicotina é uma substância fabricada

Fato: A nicotina é uma substância natural, derivada da planta do tabaco (Nicotiana). A maior parte da nicotina provém da Nicotiana tobacum, mas existem outras 66 espécies de plantas que também contêm essa substância. Ela pertence a um grupo de compostos químicos chamados alcalóides.







Fonte